Quando vale a pena pegar um empréstimo para empresas?

Uma nota de 100 reais em frente a outra nota de 50 reais, totalizando um valor de 150 reais. Entenda o que levar em conta antes de procurar um empréstimo para empresas.
Precisando de DimDim? Antes de recorrer a um empréstimo para empresas, avalie se você tem capacidade de pagá-lo e se há alternativas para fugir dele.

Recorrer a um empréstimo para empresas pode ser tanto algo bom quanto ruim.

Tudo depende das razões pelas quais o seu negócio precisa de dinheiro, quais são as alternativas às linhas de crédito e se há capacidade de pagar as dívidas.

Quer saber quando vale a pena procurar por um financiamento no mercado e como se prevenir para escapar dos bancos? Acompanhe o post a seguir e tire as suas dúvidas!

Quando procurar um empréstimo para empresas?

Há diferentes situações que nos levam a procurar dinheiro emprestado.

Pode ser que algum mês seja mais difícil e o dinheiro em caixa tenha ficado curto para pagar os fornecedores. Mas há também o outro lado da moeda: as coisas vão bem e é necessário buscar recursos para renovar os estoques ou ampliar os negócios.

Se você estiver passando por alguma destas situações, leve em consideração alguns pontos antes de ir ao banco.

Primeiro, avalie se o empréstimo é a única forma de injetar dinheiro na sua empresa.

Você possui algum sócio ou parente que possa emprestar dinheiro? Tem algum equipamento ou outro bem que possa ser vendido? Ou aplicações financeiras em nome da empresa suficientes para bancar as suas necessidades?

Se sim, procure por estes caminhos. Se não, vá atrás de linhas de crédito específicas para o tamanho do seu negócio. E pesquise bem as taxas de juros antes de fechar com a primeira instituição que aparecer.

Empréstimo pessoal x Empréstimo para empresas

Uma dica importante para não pagar juros em excesso é nunca fazer empréstimos pessoais e nem usar o seu crédito pré-aprovado para pessoa física, como o cartão de crédito e o talão de cheques.

Primeiro, porque ao fazer isso você irá misturar as contas, o que trará problemas para a sua empresa e fará com que ela acumule dívidas e precise de mais dinheiro.

E segundo porque o custo do dinheiro para PF será maior que o cobrado para pessoas jurídicas.

Por isso, quando realmente for preciso, opte por linhas específicas para pequenos negócios, como o Microcrédito Produtivo Orientado, da Caixa, o Proger Urbano – Capital de Giro, da Caixa e do Banco do Brasil,  ou recursos para Microempreendedores Individuais (MEIs).

Mantenha-se organizado

Ok. Todas as dicas até aqui podem ajudá-lo a encontrar o melhor empréstimo. Mas o que fazer para evitá-lo?

A resposta para isso é manter-se organizado.

Tenha um fluxo de caixa e faça projeções de lucros e despesas.

Faça reservas financeiras e pense em estratégias para aumentar os ganhos ao longo do tempo e evitar perdas.

Aposte nas vendas a prazo e adote formas de reduzir a inadimplência. Como já explicamos em outro texto, a maneira mais eficaz para isso é aposentar a caderneta e informatizar as vendas no fiado, por meio da emissão de boletos pelo celular e pela redução do risco de crédito.

Assim, você evitará tomar um empréstimo para empresas de forma desnecessária. Para receber mais dicas, curta a nossa página no Facebook e não perca uma novidade!

Descubra como proteger o seu dinheiro de fraudes na internet

Celular notebook e livro protegidos por uma corrente. Para evitar cair em fraudes na internet, desconfie de e-mails de cobrança e tome atitudes preventivas.
Corrente protege notebook e celular. Para evitar cair em fraudes na internet, desconfie de e-mails de cobrança e tome atitudes preventivas.

O crescimento do comércio eletrônico e dos serviços financeiros on-line aumentou o número de fraudes na internet. Por isso, os usuários precisam redobrar os cuidados para proteger o dinheiro e se livrar de futuras dores de cabeça.

Para não cair em enrascadas, confira a seguir algumas dicas importantes para evitar as ações mais comuns dos criminosos.

Desconfie de e-mails de cobrança

Uma das formas mais comuns de golpe na internet é o phishing.

A prática consiste no envio de e-mails com arquivos falsos de cobrança ou então solicitando informações do usuários, como login e senha.

Em geral, quando há uma mensagem de cobrança, os e-mails possuem arquivos anexos, que podem ser boletos gerados pelos bandidos ou então arquivos com terminação “.zip” .

Para enganar as pessoas, os criminosos costumam se passar por empresas como bancos, telefônicas, lojas on-line e aplicativos de finanças.

Portanto, ao receber e-mails com essas características, desconfie.

Como se prevenir do phishing

Para não correr riscos, veja qual é o endereço do destinatário e, se ainda restar dúvidas, verifique diretamente com as empresas em questão se aquela cobrança existe.

O DimDim, aplicativo de pagamentos e cobranças pelo celular, não solicita por e-mail dados de cadastro, como login e senha.

Logo, se você receber uma mensagem na sua caixa postal em nome da plataforma pedindo essas informações, desconsidere e coloque na sua caixa de spam.

Como sempre frisamos, o DimDim não cobra mensalidades e nem taxa de adesão, e muito menos envia faturas em nome da empresa ao seu endereço eletrônico.

Os custos do app ocorrem apenas quando as pessoas usam os seguintes serviços:

  • Carregamento de saldo;
  • Resgate do saldo em conta;
  • Geração de boletos de cobrança — que ocorre apenas quando a fatura for paga. Caso contrário, não há qualquer custo ao cliente;
  • Pagamento de boletos e convênios, como conta de luz, água e internet.

Para ficar por dentro de todas as tarifas, acesse a nossa página ou entre em contato com a nossa Central de Atendimento pelo Whatsapp: (41) 9.9223-5294

Outros cuidados simples ajudam a não cair em fraudes na internet

Além do phishing, existem outros cuidados importantes a serem tomados para não cair em fraudes na internet:

  • Evite usar aplicativos e sites de bancos e de serviços financeiros em redes públicas de wi-fi. Nestas conexões, as chances de invasão por pessoas mal intencionadas é maior. E o que procuramos é evitar riscos, certo?
  • Se precisar usar um computador compartilhado por outros usuários, certifique-se de fazer o logoff do seu e-mail, redes sociais e do site em questão logo depois de usá-lo.
  • Mantenha programas de antivírus sempre atualizados nos seus aparelhos. Como medida adicional, troque de senha regularmente e lembre-se de não compartilhar informações sigilosas, como login e senha, com outras pessoas.

Por meio de atitudes simples como essas, você ficará protegido contra fraudes na internet. Se quiser saber mais sobre as medidas tomadas pelo DimDim para garantir a sua segurança, entre em contato pelo nosso e-mail ou faça a sua pergunta no post.

Como fazer um planejamento financeiro para empresas?

Empresário em fernte ao computador faz anotações em caderno. Ter um planejamento financeiro para empresas contribui para investir melhor e aumentar os ganhos.
Empresário faz anotações em caderno. Entender o que é o fluxo de caixa e antecipar ganhos e gastos contribui para investir melhor e aumentar o lucro.

O planejamento financeiro para empresas é uma medida necessária para manter as contas em dia, fazer bons investimentos e tomar decisões importantes para a estratégia de vendas.

Sem a organização e a projeção de lucros e despesas, o seu negócio correrá mais riscos de quebrar ou de ficar atrás da concorrência.

Quer fugir dessa e ser um empresário de sucesso? Então veja a seguir as nossas dicas para montar um fluxo de caixa eficiente e sem segredo!

O que saber ao criar um planejamento financeiro para empresas?

É importante começar pontuando que um planejamento financeiro de verdade não fica só no registro de entradas e saídas. É preciso ir além disso.

Para se ter um controle de fluxo de caixa, você precisa “antecipar” os lucros e as despesas diárias, por menores que elas sejam, o que reduzirá as chances de ficar no prejuízo.

Quer um exemplo?

Digamos que você tenha um comércio e precise investir em um novo equipamento.

Ao olhar apenas para as parcelas aparentemente pequenas, sem considerar os gastos e os ganhos a receber, quem garante que você terá dinheiro para honrar as parcelas?

E se surgir um imprevisto que implique em despesas de emergência, como danos causados à sua estrutura,  mas a empresa estiver com o caixa comprometido?

Você conseguirá bancar um empréstimo bancário?

Perceba que com o fluxo de caixa você fará decisões racionais no uso do dinheiro, o que lhe proporcionará economia no curto, médio e longo prazos!

Como aumentar as vendas por meio do fluxo de caixa?

Entretanto, o efeito positivo do planejamento financeiro para empresas não se limita ao melhor uso do dinheiro em caixa.

Por meio dele, as decisões de vendas a prazo e de concessão de crédito também serão impactadas, seja pelas parcelas oferecidas no crediário próprio ou pelas vendas no fiado — que, como já dissemos por aqui, são um jeito certo para ampliar os lucros, desde que tomadas atitudes para evitar a inadimplência.

Com o fluxo de caixa projetado, você saberá qual valor de mercadorias poderá vender em prestações sem criar um rombo nas contas e quanto dinheiro ganhará nos próximos meses.

Como montar um planejamento financeiro para empresas?

Explicadas as vantagens de se investir em um planejamento financeiro, vamos à implantação?

Para facilitar a sua vida, veja o passo a passo de como fazê-lo agora:

1. Tenha uma planilha e registre o saldo inicial e as entradas e saídas do dia.

2. Na data seguinte, subtraia as receitas dos gastos relativos ao dia anterior. Depois, some esse valor ao saldo inicial. Esse será o seu saldo acumulado.

3. Dê continuidade a esse processo nos demais dias, considerando também outras despesas — como impostos, funcionários, etc. — e suas respectivas datas de vencimento.

4. Observe as vendas e projete quanto deverá lucrar em cada dia. Considere particularidades como datas comemorativas, feriados e fins de semana e como os consumidores se comportam nestas ocasiões.

5. Organize o registro dos ganhos futuros por meio de aplicativos de vendas, cobranças e de análise de crédito, como o DimDim.

Viu só como criar um planejamento financeiro para empresas não é um bicho de sete cabeças? Para receber mais dicas, assine a nossa newsletter no canto esquerdo da página e siga a nossa página no Facebook!

Saiba como não perder clientes e aumentar as vendas

Homem compra doces em loja. Apostar no bom atendimento é uma das formas para não perder clientes. Veja outras dicas.
Homem compra doces em loja. Apostar no bom atendimento é uma das formas para não perder clientes. Veja outras dicas.

Ter novos consumidores é importante. Mas o que você está fazendo para não perder clientes?

Afinal, tão fundamental quanto vender mais e fechar novos contratos é garantir que a sua clientela permaneça fiel.

Para se dar bem no seu negócio e avançar na crise, acompanhe as nossas dicas a seguir.

1. Conheça os seus clientes

Este ponto já foi comentado em um outro post, mas sempre é bom reforçar. O profissional que conhece os seus clientes e sabe quais são as suas preferências está sempre a um passo do sucesso, já que são os consumidores que mantêm o negócio, seja um armazém, uma loja de roupas ou uma escola de línguas estrangeiras.

Para fazer isso, observe os seus consumidores e tente encontrar perfis e padrões de compras.

Veja se eles são mais homens ou mulheres, qual é a faixa de idade, quais são os produtos que mais saem e o que eles procuram, mas não encontram.

A partir destas avaliações, ofereça os produtos e serviços mais buscados pela clientela.

2. Antecipe tendências

O passo seguinte para manter os clientes fiéis é perceber quais são as tendências de mercado.

Para isso, esteja por dentro da sua área de atuação e veja o que as pessoas estão comprando em outras lojas.

Se você tem um comércio de roupas, acompanhe blogs e canais no Youtube de moda e veja as vitrines das grandes redes. Se for fotógrafo, esteja por dentro dos ensaios que são tendência na área e procure por referências no Pinterest, no Instagram e em sites especializados.

Já para quem oferece serviços que aparentemente possuem poucas tendências, como é o caso dos dentistas, fique atento às novidades em equipamentos e procedimentos para baratear os custos e satisfazer as necessidades da clientela.

3. Aposte no bom atendimento para não perder clientes

Não basta ter bons produtos e serviços se os consumidores não se sentem bem atendidos. Por isso, não subestime a importância de fazer com que os compradores se sintam à vontade e bem tratados.

Cumprimente, sorria e esteja disposto para tirar todas as dúvidas. Como dissemos, é importante conhecer a sua área de atuação para vender serviços e produtos com autoridade.

Acredite: com atitudes simples como essas, os compradores se sentirão especiais e farão questão de voltar ao seu estabelecimento ou contratar e recomendar os seus serviços.

Entre um dentista prestativo, que tira todas as suas dúvidas e demonstra firmeza no que irá fazer, e um profissional que o deixa cheio de questionamentos e o atende mal, qual dos dois será a sua escolha?

4. Ofereça diferentes formas de pagamento

Ao comprar ou contratar um serviço, os consumidores procuram por facilidades no pagamento. Por isso, não se prenda ao dinheiro e aceite cartões, cheques e aplicativos de pagamentos.

Não negue as vendas a prazo: abra um crediário próprio ou venda pelo celular por meio de plataformas de cobrança, como o DimDim. Assim, você transformará o fiado em uma operação segura e lucrativa.

Quer receber outras dicas para não perder clientes e aumentar as vendas do seu negócio? Assine a nossa newsletter no canto inferior da página e siga a nossa página no Facebook!

4 dicas para conquistar novos clientes e vender mais

Homem compra produtos em feira ao ar livre. Entender qual é o seu público e o que ele procura faz toda a diferença para conquistar novos clientes.
Homem compra produtos em feira ao ar livre. Entender qual é o seu público e o que ele procura faz toda a diferença para conquistar novos clientes.

Conquistar novos clientes é a chave para qualquer negócio se manter na ativa e aumentar os lucros. Mas sem estratégias e algumas mudanças na forma de tocar a sua loja, este objetivo ficará distante da realidade.

Se você procura maneiras para atrair consumidores e vender mais, confira a seguir quatro dicas que farão toda a diferença para a sua empresa.

1. Entenda as necessidades do seu público

Para vender uma roupa, um calçado ou qualquer outro produto, é preciso que alguém esteja disposto a comprá-lo, certo? Mas, se não atendemos às exigências dos nossos clientes, como faremos isso?

Por este motivo, precisamos observar o perfil de quem visita a nossa loja e entender o que o nosso público procura.

Faça uma análise: os seus compradores são mais jovens ou mais velhos? A maioria é formada por homens ou mulheres? Quais produtos eles mais compram? E quais ficam entulhados nas prateleiras ou araras?

A partir desta avaliação, crie perfis e ofereça o que cada eles esperam.

Afinal, não adianta ter um estoque gigante de sapatos pretos masculinos se a maioria procura por tênis de corrida femininos.

2. Faça o cliente se sentir à vontade

Não vá com muita sede ao pote. Em vez de adotar uma postura “sangue nos olhos”, encontre um meio termo entre a abordagem direta — para que o comprador saiba que pode contar com alguém para tirar as dúvidas — e deixá-lo escolher sem ignorá-lo.

Se você não sabe ao certo como chegar no consumidor, existe uma dica infalível: coloque-se no outro lado do balcão.

Pergunte a si mesmo: como você se sente quando olha uma vitrine e um vendedor já vem abordá-lo? E quando quer tirar uma dúvida, mas não há ninguém à disposição?

Procure por referências de lugares que você goste do atendimento e pense como aproveitar as práticas para atrair os consumidores.

3. Tenha um ambiente capaz de conquistar novos clientes

Em se tratando de vendas, quase sempre a primeira impressão é a que fica.

Portanto, uma loja sem uma vitrine atraente ou um comércio que não disponha de prateleiras organizadas, com a relação de todos os preços e um ambiente limpo e agradável passará uma imagem negativa ao comprador.

E, novamente, a tática de se colocar do outro lado é tudo.

Facilite a vida do consumidor e deixe os produtos distribuídos de forma que possa caminhar pelo estabelecimento e avaliar a compra.

4. Ofereça opções de pagamento

Na hora de fechar a venda, esteja pronto para oferecer o maior número de formas de pagamento.

Não fique refém do dinheiro vivo. Tenha em mãos uma maquininha de cartão e esteja aberto para as vendas no fiado — desde que elas ocorram de maneira segura, por meio de ferramentas de pagamentos digitais ou boletos bancários.

Para realizar vendas a prazo sem a necessidade de recorrer às parcelas no cartão ou no cheque, use aplicativos de cobranças e geração de boletos pelo celular, como o DimDim.

Assim, você poderá conquistar novos clientes e fidelizar o seu público. Se você gostou das nossas dicas, compartilhe com os seus amigos nas redes sociais e não deixe de nos acompanhar no Facebook!

Saiba como ter um crediário próprio e aumentar as vendas

Mulher compra alimentos no supermercado. Abertura de crediário próprio garante mais ganhos ao seu negócio
Mulher compra alimentos em mercado. Abertura de crediário próprio aumenta os ganhos e fideliza clientes.

Chega um ponto na vida de todo lojista em que aumentar as vendas se torna mais do que um desejo, mas sim uma necessidade para se manter no mercado. E uma das táticas mais comuns para alcançar este objetivo é a abertura de um crediário próprio.

Se você chegou a esta conclusão, mas não sabe ao certo como fazer isso, relaxe! Acompanhe no texto a seguir um passo a passo para lucrar mais nas vendas a prazo com segurança e sem precisar de grandes investimentos.

Tenha um cadastro de clientes

Para colocar o crediário próprio em prática é preciso ter um sistema eficiente de cadastro de clientes. A caderneta é um caminho, mas, em comparação com os aplicativos e planilhas do computador, ela perde de lavada!

Isso ocorre porque a informatização facilita a organização dos dados e o acompanhamento do valor das dívidas, das parcelas pagas e daquelas que estão em aberto.

Entre as três opções, os aplicativos têm ainda uma vantagem, que é a possibilidade de emitir boletos para registrar a dívida, o que contribui para lembrar o consumidor dos débitos em aberto.

Faça uma análise de crédito

A análise de crédito é uma das chaves para diminuir os riscos nas vendas no fiado –que, como já dissemos por aqui, nada mais são do que vendas a prazo– e para manter a qualidade do crediário. Embora o nome assuste um pouco, como já explicamos neste post, a análise de crédito nada mais é do que a avaliação dos clientes que têm mais chances de honrar os débitos — e daqueles que podem deixá-lo na mão.

Mas e como fazer isso? Mais uma vez, a informatização é o caminho mais fácil e barato.

Com aplicativos como o DimDim, por exemplo, você pode avaliar o perfil dos compradores a partir do histórico  no aplicativo, que é representado por estrelas, e decidir para quem irá conceder o crédito. Além disso, você consegue registrar as dívidas e emitir boletos.

Avalie quanto crédito você tem disponível

Não ignore este ponto! Quando decidir receber a prazo, lembre-se de que você está abrindo mão de um ganho hoje para receber mais para frente, o que garante ganhos futuros e novos clientes.

Mas, antes de oferecer o crediário, avalie quanto é possível conceder aos compradores. Para não faltar dinheiro no caixa, calcule a quantia de dinheiro disponível para bancar os gastos do dia a dia. E esteja atento ao número de parcelas. Para reduzir a inadimplência, o recomendado é dividir o pagamento em até cinco vezes.

Divulgue o crediário próprio

Não adianta oferecer uma facilidade aos consumidores se eles não sabem disso. Portanto, aposte na divulgação via Facebook, Whatsapp, panfletos e por meio de cartazes dentro e na frente da loja.

Desta forma, o crediário próprio do seu negócio tem tudo para dar certo! E você, já pôs em prática alguma dessas dicas? Deixe um comentário e conte a sua experiência para a gente.

Aprenda o que fazer quando o cliente não paga o que deve

Nota fiscal eletrônica com relação dos gastos das compras. Saiba o que fazer quando o cliente não paga o que lhe deve.
Nota com a relação das compras feitas pelo consumidor. Classificar os compradores por perfil ajuda a tomar as melhores medidas.

Os dados da inadimplência no Brasil não são nada animadores. Em maio de 2017, o país registrou 61 milhões de pessoas com contas em atraso, o maior índice já calculado pela Serasa Experian. Portanto, são altas as chances de você, lojista, estar se perguntando: “o que fazer quando o cliente não paga o que me deve?”

Para ajudá-lo nesta jornada, apresentamos a seguir algumas dicas para você recuperar o seu dinheiro. Confira!

Avalie caso a caso

Primeiro, tenha em mente que cada comprador tem um perfil diferente.

Enquanto alguns querem, mas não podem pagar no momento, outros podem, mas não querem pagá-lo agora. Por isso, é importante ter estratégias específicas para cada tipo de consumidor.

Faça o levantamento das pessoas que estão em dívida com você e avalie o comportamento delas. Esta é a primeira vez que elas ficam devendo? Ou trata-se de uma atitude comum?

A partir da resposta para essas perguntas, divida os compradores em grupos e adote medidas para cada um deles. Veja algumas sugestões:

O que fazer quando o cliente não paga uma vez

Considere que aqueles que atrasaram pela primeira vez, ou então deixaram de pagar em um ou outro momento, podem estar passando por alguma dificuldade.

Neste caso, mande em um período de até dez dias após o vencimento um lembrete por Whatsapp ou SMS sobre o débito, junto com o boleto por e-mail. Depois, acompanhe até que o pagamento seja feito.

Como este cliente é um bom pagador, facilite para o lado dele: dê um prazo para que possa quitar as contas sem juros e ofereça opções de pagamento. Isso o tornará fiel ao seu negócio!

O que fazer quando o cliente atrasa todo mês

Além deste, há um outro cenário comum: o dos consumidores que sempre pagam as contas em atraso.

Se você estiver passando por isso, converse com o comprador e veja se as datas de vencimento estão dentro da realidade dele. Se não for o caso, ofereça outras  datas que sejam boas para os dois lados.

As opções de pagamento também devem ser levadas em conta. Além do dinheiro, aceite cartões de débito, cheque e aplicativos de pagamentos, como o DimDim.

O que fazer quando o cliente não paga nunca

Em uma situação delicada com essa, a primeira dica é não se precipitar. Fique calmo, respire e não seja rude com o seu cliente.

É de extrema importância não adotar um tom agressivo ou constrangedor. Caso contrário, o comprador pode entrar com um processo contra você, tendo como base o Código de Defesa do Consumidor.

Portanto, a nossa dica é contatá-lo via telefone ou –preferencialmente– por e-mail ou carta, oferecendo a opção de parcelamento da dívida.

Mostre que está disposto a negociar e dê um desconto para o pagamento à vista e em dinheiro. E lembre-se: mantenha um registro com todas as tentativas.

Mas, se mesmo assim a dinheiro não cair na sua conta, avalie se vale a pena pagar um advogado e entrar com medidas legais. E lembre-se que, para isso, é preciso ter um registro da venda, como por meio de aplicativos ou contratos de serviços.

Ao saber o que fazer quando o cliente não paga o que deve, a tendência é que as suas perdas com a inadimplência diminuam. Se você gostou deste post, acompanhe as novidades do blog e não deixe de compartilhar nas redes sociais!

Saiba como pagar contas em dia e escapar das dívidas

Foto com moedas de dez e cinco centavos sobre a mesa. Aplicativos ajudam a organizar e pagar contas em dia.
Em vez de contar as moedas sobre a mesa, use aplicativos para pagar e organizar contas.

Se existem certezas nessa vida, uma delas é que, todo mês, nós teremos novos boletos a pagar. E, num mau momento da economia como o que passamos agora, pagar as contas em dia se tornou em uma dificuldade daquelas.

Se você está em busca de uma forma para resolver isso, então veio ao lugar certo! No texto a seguir, nós do Blog do Aplicativo DimDim daremos algumas dicas simples para organizar as finanças e não ficar no vermelho. Acompanhe.

Pague primeiro o que for mais importante

A primeira forma de evitar o acúmulo de dívidas e multas por atraso é quitar os boletos o quanto antes, de preferência logo no início do mês.

Ao receber as faturas do aluguel, do condomínio e da luz, pague todas assim que o salário ou a renda mensal estiverem disponíveis.

Priorize aquilo que for essencial e que possa gerar custos maiores em caso de atraso –como escola dos filhos, faculdade e plano de saúde.

Com isso, você se livrará das obrigações financeiras e ficará longe das dívidas.

Ah, e por falar em dívidas, a mesma lógica é válida para os empréstimos. Afinal, ninguém quer ficar –ou voltar a ficar– inadimplente, certo?

Agora, se você é daqueles que tem a memória curta e sabe que pode se esquecer de alguma conta, tente manter todas no mesmo dia de vencimento ou em datas próximas.

A vantagem disso está em evitar de se perder no calendário e pagar multas.

Tenha um controle financeiro rigoroso

Nós já dissemos isso por aqui, mas é sempre bom lembrar: mantenha uma planilha ou caderno com a relação dos ganhos e gastos mensais.

Tenha um controle rigoroso das finanças. Avalie quais são as principais fontes de despesa e se há espaço para cortes. Faça  uma previsão de gastos e mantenha-se firme a ela.

Se tiver dívidas, substitua os empréstimos mais caros por outros mais baratos, como o consignado e o pessoal, e faça um esforço para quitar todos o quanto antes.

Só assim você terá dinheiro sobrando para pagar contas em dia e escapar das dívidas.

Use aplicativos para pagar contas em dia

Uma outra dica para quem se perde com os vencimentos é digitalizar a carteira e ter um maior controle dos gastos por meio de aplicativos para o celular.

Embora alguns apps exijam uma integração com a conta corrente, existem outros que dispensam esta necessidade.

Entre estas opções está o DimDim, um app de cobranças, pagamentos e transferências para smartphones com sistema Android.

Com ele, é possível pagar boletos e convênios por meio de um leitor de código de barras e ter uma relação com todas as faturas quitadas num mesmo local, o que ajuda no controle financeiro.

Para começar a usá-lo, é preciso baixar o programa, criar uma conta gratuita e carregar com o valor necessário. Todo o processo segue as normas do Banco Central, o que garante a segurança dos usuários.

Para saber mais, acesse o link com todos os detalhes.

E lembre-se que, embora essas dicas contribuam para ajudá-lo a pagar contas em dia, é necessário ter disciplina e força de vontade para manter a saúde financeira. Para acompanhar todas as novidades, assine a nossa newsletter!

Veja 4 ideias para fazer renda extra e melhorar o orçamento

Fotógrafo em uma sala com paredes brancas e quadro ao fundo. Hobby é uma das alternativas para fazer renda extra.
Se você se dá bem com fotografia ou tem outro passatempo rentável, considere usá-lo para ganhar um dinheiro a mais.

O orçamento está apertado e você precisa descobrir uma forma para fazer renda extra?

Pois saiba que existem maneiras de garantir uma graninha de verdade e melhorar a situação financeira com baixo ou nenhum investimento, seja levando a sério um hobby ou fazendo uma faxina em casa.

Ficou curioso? Então veja a seguir uma lista com quatro ideias para aumentar a renda!

Explore o seu lado vendedor

Para quem tem jeito com pessoas, uma alternativa é aproveitar as horas vagas para trabalhar com vendas diretas.

Produtos para casa, como Tupperware, ou de beleza, como Natura, Avon e Mary Kay, têm uma procura alta e constante. E não é preciso esforço para conseguir clientes, já que eles estão por todos os lados –até mesmo no trabalho!

Para aumentar os lucros com vendas diretas, a nossa dica é apostar no fiado –que, como já falamos aqui no blog, nada mais é do que uma venda a prazo.

Com isso, você ampliará o valor gasto pelos clientes em relação às compras à vista e dispensará o custo com a maquininha de cartão.

Para garantir a sua segurança e evitar calotes, use o DimDim, um aplicativo de pagamentos digitais pelo celular que emite boletos e ajuda no controle das vendas.

O cadastro é gratuito e, ao participar do Clube DimDim, você acumula pontos que podem ser trocados por créditos ou dinheiro quando indicar o app a um amigo e a plataforma for usada para o pagamento de faturas.

Use seus passatempos para fazer renda extra

Se as vendas diretas não são a sua praia, você pode aproveitar seus hobbies e transformá-los em uma fonte de renda.

Você cozinha bem? Gosta de fotografar? Tem uma coleção legal de vinis e adora colocar um som para os amigos? É ligada em moda e leva jeito para costura?

Tenha uma visão empreendedora e veja os seus passatempos e habilidades como formas de descolar um dinheirinho a mais.

Comece oferecendo serviços aos amigos e avise seus conhecidos pelo Facebook e Whatsapp. Depois, se dedique para fazer o seu melhor e peça para os clientes indicarem os seus serviços a outras pessoas.

Revenda o que está parado em casa

Agora, se nenhuma dessas opções é o seu forte, veja se não tem nada parado em casa que possa ser revendido para gerar uma renda extra.

Procure por roupas, joias ou relógios que estejam em ótimo estado, ou dê uma olhada nos móveis, aparelhos eletrônicos e coleções de CDs e DVDs nas estante. Pode ser que outra pessoa se interesse por eles.

Para vender, use comunidades no Facebook ou lojas on-line –os chamados marketplaces–, como o Mercado Livre e o Enjoei.

Ganhe fazendo compras

Parece pegadinha, mas não é.

Em alguns estados, como no Paraná e em São Paulo, existem programas que devolvem parte dos impostos pagos sobre os produtos.

Chamados de “CPF na nota”, os programas dividem parte da tributação com o consumidor, o qual acumula pontos em dinheiro a serem sacados após uma determinada quantia.

Para isso, basta  informar o CPF na hora da compra. Simples, não é?

Se você gostou das nossas dicas para fazer renda extra, compartilhe o post e acompanhe todas as novidades assinando a nossa newsletter!